+SOR.SPACE

+SOR.SPACE

Designação do Projeto: +SOR.SPACE

Código do Projeto: 15020

Objetivo principal:

O objectivo do +SOR.SPACE foi equipar infraestruturalmente a empresa para que esta responda eficaz e eficientemente a necessidades, desafios, e oportunidades geradas pela maturidade tecnológica que a empresa já adquiriu, sem contudo perder a agilidade e versatilidade que a caracteriza. Teve também a função de credibilizar os seus procedimentos de desenvolvimento, teste, e industrialização dos seus produtos, apresentando-a num contexto com o nível de ambição, requisitos e expectativas dos mercados que endereça.

Região de intervenção: Alentejo

Entidade beneficiária: TEKEVER SPACE

Data de aprovação: 2016-04-06

Data de início: 2016-01-01

Data de conclusão: 2017-12-31

Custo total elegível: 435.131,56€

Apoio financeiro da União Europeia: 261.078,94€

Objetivos, atividades e resultados esperados/atingidos:

Os sectores dos micro- e nano-satélites e dos links inter-satélite são dois segmentos de mercado em franca expansão e que têm sido alvo de interesse generalizado, inicialmente no meio académico, posteriormente na indústria de pequena e média dimensão e finalmente nas próprias agências espaciais.

O projeto propôs-se a implementar um conjunto de infraestruturas, equipamentos e recursos adequados num complexo tecnológico partilhado com outras duas empresas do Grupo TEKEVER: A TEKEVER Autonomous Systems e a TEKEVER Communication Systems. Este complexo constitui uma peça importante na capacitação destas empresas para produção em larga escala e teste de produtos (novos e existentes) e estará na charneira do estado da arte na áreas relevantes (UAVs no caso da TEKEVER AS, comunicações no caso da TEKEVER CS e teste e qualificação de sistemas espaciais no caso da TEKEVER Space). O espaço foi preparado para alojar um conjunto de profissionais e equipamentos e tornou possível explorar sinergias entre a TEKEVER Space e TEKEVER Communication Systems. À medida que a segunda for forçando os limites da tecnologia de comunicações terrestre, a primeira poderá avaliar a integração de novas capacidades nos produtos espaciais e novos processos de spin-in para o espaço. Os investimentos realizados permitiram dotar a empresa de capacidades de teste e qualificação de sub-sistemas espaciais e nano-satélites de acordo com as normas Europeias e internacionais mais exigentes.